O ENCANTO DE SINTRA.

Venha passar uns dias de encanto e romance!

Texto Maria Bacelar

“Vi-a numa noite doce, em que o rouxinol cantava e todo o céu se estrelava, luminoso pavilhão. Era Sintra! Sinto ainda o doce correr das fontes e a sombra nas nossas caras das árvores do Ramalhão”

Eça de Queiroz in “A Tragédia da Rua das Flores”, 1980

As referências literárias a Sintra vão de Eça a Camilo, passando por Fernando Pessoa, Almeida Garret, Lorde Byron ou Hans Christensen. Na verdade poucos conseguem ficar indiferentes a este lugar mágico. A neblina que a envolve, por vezes dias seguidos, torna esta vila um paraíso escondido na bruma para descobrir vagarosamente. Entre escarpas e montanhas, casas, solares, palacetes e chalets, descubra a cada minuto novos e secretos mundos.

MonserrateDe Devisme a Cook

Dizem os entendidos que o período áureo de Sintra aconteceu entre o final do século XVIII e todo o século XIX.  Comecemos por Gerard Devisme e a construção que em 1790 leva a cabo na Quinta de Monserrate, o deslumbrante palacete neo-gótico que é hoje um símbolo mais proeminente do romantismo de Sintra. Embora Devisme tenha feito um investimento considerável foi posteriormente nas mãos do também abastado escritor William Beckford, um aristocrata inglês, que os jardins envolventes enriqueceram grandemente. O romancista projetou e fez nascer pequenos recantos, cursos de água e até uma cascata artificial que dotaram o lugar de uma beleza ainda mais inesquecível.

Cascata artificial de Monserrate que se diz ter sido feito por Beckford, no tempo em que o escritor por lá viveu.

Em 1856 Francis Cook, um milionário dos têxteis, adquire o Palacete convertendo-o na residência da família durante as longas temporadas que passavam anualmente em Portugal. De salientar que os Cook tiveram um importante papel no enriquecimento do valor artístico do palacete adquirindo centenas de obras de arte. A família fez ainda questão de comprar mais de uma dezena de quintas o redor de Monserrate para valorizar o espaço. Acabariam por ser forçados a vender a propriedade em 1947 na sequência de perdas financeiras inesperadas. Hoje o Palácio e referência de Sintra pertence ao Estado Português juntamente com 143 hectares da Tapada de Monserrate.

Cascata Artificial (Créditos parquesdesintra)

D. Fernando e o seu Palácio da Pena

Foi, no entanto, pela mão de D.Fernando II que Sintra ganhou o estatuto de cenário de conto de fadas, graças à obra de recuperação do Convento da Pena, antigo Mosteiro de Nossa Senhora da Pena. A obra de reabilitação converteu-o no Palácio da Pena tornando Sintra num cenário que povoa a imaginário das mentes mais românticas graças ao palacete de cores vibrantes encaixado numa escarpa.

Da operação de reabilitação fez também parte um plano de jardinagem notável levado a cabo por D.Fernando II e pela segunda mulher, Elise Hensler, atriz de teatro e cantora de ópera. Aliás, é ao casal que se fica a dever a abundante vegetação fora do comum do Parque da Pena que conta com raras e exóticas árvores que ainda hoje seduzem quem o visita.  Também as imediações do palácio foram adornadas com fontes, cursos de água e falsas ruínas que o dotaram de uma beleza rara que perdura até aos nossos dias.

Depois da morte da primeira mulher, a rainha D.Maria II, D.Fernando e Elise passavam longas temporadas em Sintra afastados do bulício da cidade. Elise e Fernando ficaram conhecidos por valorizar a arte e a cultura refletindo-se essa paixão em tudo o que fizeram. D Fernando II ficou mesmo conhecido como o Rei-Artista.

Quando D. Fernando II adquiriu o Palácio em 1838 concebeu o espaço para lá passar tempo com a rainha D.Maria II, mas a morte inesperada da monarca aos 34 anos gorou-lhe os planos.

Porta Monumental do Palácio da Pena com um arco triunfal onde abundam elementos arquitetónicos portugueses do século XVI que remontam à altura em que o mosteiro foi construído.

D. Fernando II juntamente com a segunda mulher foi ainda responsável pela concepção e construção do Chalet da Condessa D’Edla  mais um lugar encantado a descobrir no Parque da Pena. Uma construção singular desenhada e concebida pela própria condessa e pelo marido, construída entre 1864 e 1869 com clara inspiração nos chalets alpinos, um acolhedor e sui generis ninho de amor.

A não perderPercursos pedestres para todos os gostos

O percurso transversal a artistas e visitantes que passam por Sintra tem como ponto de partida o Palácio da Vila e já que aí está aproveite para trincar uma queijada ou travesseiro da Piriquita espreitando as lojas pitorescas com produtos locais da inclinada rua principal. Depois é seguir pela estrada sinuosa que passa pela Quinta da Regaleira, Monserrate e Seteais. No regresso, paragem obrigatória pelo Castelo dos Mouros  e Palácio da Pena, descendo depois de volta ao centro histórico da vila. Se preferir dividir as atrações a visitar, tome nota dos principais percursos pedestres.

Cada vez mais se viaja em busca de experiências ligadas a práticas ativas e a caminhada é um dos expoentes máximos dessa visão. É justamente isso que temos para lhe propor para este fim de semana. Cursos de água, horizonte a perder de vista, aventura, ecoturismo e cultura ao mais alto nível! Preparado? Vamos a isso!

Percurso de Santa Maria

Se é novato(a) nesta história das caminhadas o melhor é começar por um percurso de baixa dificuldade e nesse caso o percurso de Santa Maria pode ser o que procura. Menos de 2 quilómetros de extensão, de um percurso circular com destaque para dois monumentos icónicos: o Castelo dos Mouros e o Parque e Palácio Nacional da Pena. O caminho inclui caminhos pavimentados e de piso regular, mas também zonas de floresta com algumas inclinações abruptas. É recomendado para todas as idades embora exija uma preparação física moderada e faz-se numa hora. Grau de dificuldade: Fácil

Percurso da Lapa

Para quem já tem alguma experiência a caminhar este pode ser o percurso a escolher. Ideal para quem vem do percurso anterior (Percurso de Santa Maria). Este caminho tem algumas inclinações abruptas e troços de terra batida. Conduz diretamente à entrada principal do Parque da Pena levando o caminhante pela floresta dentro. Requer, como já referimos alguma preparação física. Demora cerca de 45 minutos, mas não se deixe enganar porque são 45 minutos com alguma exigência. Grau de dificuldade: Moderado

Percurso de Seteais

Inclui um troço de uma das mais belas estradas da serra seguido de um trilho com as mais singulares vistas sobre a vila. Requer um considerável grau de preparação física já que parte do trilho é em piso irregular e declive acentuado. É um percurso circular com cerca de 3 quilómetros e meio. Percorre-se em hora e meia. Passa pela Quinta da Regaleira, pela rampa da Pena, pela Fonte da Pipa e pelo palácio que lhe dá nome Seteais que neste momento funciona como hotel. Grau de dificuldade: Exigente

Curiosidade : Lenda de Seteais

Reza a lenda que destacado para ocupar o castelo mouro de Sintra, Mendes de Paiva depara-se com a bela princesa moura Anasir acompanhada da sua aia Zuleima. Terá sido amor à primeira vista, mas assustada Anasir gritou. Intrigado Mendes de Paiva continuou a investida em direção à inimiga, levando Anasir a gritar uma vez mais.

Zuleima pediu então à princesa que não soltasse mais nenhum ai, mas perante a chegada do exército cristão Anasir não se conteve e tornou a gritar. Rendido aos encantos da beldade, Dom Mendes de Paiva decide esconder a princesa e a aia numa casa nas redondezas. Mas pouco tempo depois a casa começou a ser vigiada por mouros e Zuleima, a aia, não teve dúvidas tratar-se do noivo da princesa ansioso por castigar a traição da moura. Zuleima confidenciou, entretanto a Dom Mendes de Paiva que uma feiticeira tinha vaticinado que ao sétimo “ai” que desse, Anasir morreria…Curiosa e brincando com essa premonição Anasir solta o quinto e o sexto “ais”. Pouco tempo depois enquanto Dom Mendes se encontrava numa batalha, o príncipe mouro capturou a princesa levando a beldade a soltar o sétimo “ai” depois de desferir o golpe fatal.

De coração ferido para toda a eternidade quando regressou da batalha Dom Mendes decidiu chamar aquele lugar Seteais, em honra da amada.

Onde passar uma boa noite?

Quinta de São Thiago

Uma elegante Guest House com 6 quartos duplos com WC privado e 2 suites familiares. Em plena serra de Sintra a Quinta de São Thiago deve este nome que mantém as características da construção inicial do sec. XVI.

A partir de 80€ por noite com pequeno-almoço incluído a Quinta de São Thiago é a escolha de quem valoriza o património arquitectónico e a traça antiga aliada ao conforto moderno. É o lugar ideal para parar e respirar o ar puro da serra de Sintra.

Dream Guincho

Se prefere uma linha arquitetónica mais atual tem que conhecer o Dream Guincho.

São 8 quartos, todos com casa de banho privativa, com uma vista alucinante entre o mar do Guincho e a serra de Sintra. Ecológico e sustentável recorre a materiais recicláveis e energia renovável, o que o torna mais exigente em termos de preços. O Dream Guincho é o fruto de um sonho da proprietária, por isso, prepare-se para viver uma experiência inesquecível.

Aldeia da Mata Pequena

14 casas caiadas com barras azuis e amarelas. Uma aldeia com mais de 300 anos totalmente recuperada convida-o a recuar no tempo e saborear os pequenos grandes prazeres da vida. Fica no concelho de Mafra e é composta por sete T1 com capacidade para duas pessoas, três T2 com capacidade para quatro pessoas, três T3 com capacidade para seis pessoas e um T4 que acomoda oito pessoas. A estadia tem o mínimo de dois dias e inclui pão cozido em forno de lenha.

Contatos

Onde Ficar

Quinta de São Thiago

Morada: E.N. 375, R. do Regueirinho, 2710-405
Tel.: 21 923 2923
Preço: Desde 80€ dependendo da época do ano

Dream Guincho

Morada: R. do Moleiro 65, 2755-150 Alcabideche
Tel.: 935 554 343
Preço: Desde 200€ dependendo da época do ano

Aldeia da Mata Pequena

Morada: Rua de São Francisco de Assis, 2640-366 Mafra
Tel.: 21 927 0908
Preço: Desde 60€/2 noites dependendo da época do ano

Onde Comer

Curral dos Caprinos

Morada: R. 28 de Setembro, 2710-125 Sintra Telefone: 21 923 3113 Preço: 20€ por pax

Adega do Saloio

Morada: R. Álvaro dos Reis 49, 2710-526 Sintra Telefone: 21 923 1422 Preço: 20€ por pax

Azenhas do Mar

Morada: Azenhas do Mar Colares, Sintra 2705-101 Portugal Telefone: 21 928 0739 Preço: 30€ por pax

Onde ir

Palácio da Pena

Morada: Estrada da Pena, 2710-609 Sintra Horário: 2ª a domingo 09H30 – 17H30 Telefone – 21 923 7300

Castelo dos Mouros

Morada:  2710-405 Sintra Horário: 2ª a domingo 10h00 às 18h00    Telefone: 21 923 7300

Monserrate

Morada: Parque de Monserrate 2710-405 Sintra Horário: 09H30 – 18H30 Telefone: 21 923 7300

Quinta da Regaleira

Morada: R. Barbosa du Bocage 5, 2710-567 Sintra Horário: 2ª a domingo das 10h00 às 17h30 Telefone:21 910 6650

Newsletter

A Hotéis de Campo publica semanalmente uma newsletter com todos os artigos relacionados com sugestões de viagens em Portugal.

Email Marketing by E-goi

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments