O regresso às aulas traz de volta as tão saborosas escapadelas de fim de semana

A escola está aí, mas isso não tem de ser sinónimo de ficar em casa. O bom tempo ainda está para ficar e há ainda muito verão para aproveitar

Texto: V.M.

Fotografia de capa cedida pela Quinta Taboadella – Casa Villae 1255

O fim do mês de agosto é também prenúncio do regresso às rotinas e final das férias grandes. Contudo, há que continuar a aproveitar cada momento para fazer coisas que distraiam e alegrem a família. Esta época do ano é perfeita para assistir – e quem sabe participar – às vindimas que acontecem nas várias quintas d país, como é o caso da Taboadella, no Dão. 
Mais a sul, o Alentejo é sempre sinónimo de descanso e de boa comida, ao ritmo do tempo, sem pressas para nada.

TABOADELLA – CASA VILLAE 1255 
Esta é a melhor altura do ano para conhecer ou regressar à quinta da família Amorim no Dão. As vindimas já começaram, a azáfama é grande e, se quiser, pode juntar-se à actividade: envolver-se na colheita das uvas, vivenciar a vinificação e fazer uma prova dos vinhos da marca. Os responsáveis pela quinta irão entregar-lhe o kit para a vindima, composto de balde e tesoura, e acompanhá-lo em toda a aventura. Localizada em Silvã de Cima, concelho de Satão, distrito de Viseu, a Quinta da Taboadella, no lugar com o mesmo nome, integra uma mancha única de 40 hectares de vinha. A casa da quinta, uma das mais charmosas da região do Dão, dispõe de oito quartos, um dos quais fica localizado na torre, que é equipado com beliches, o que faz as delícias dos membros mais jovens da família. A casa, com uns generosos 720m2 de área distribuídos por dois pisos, tem ainda três espaços comuns de convívio com acesso a um terraço com vista para a vinha. Um jardim secular estende-se até às parcelas de vinha e ao lagar romano.

 
É tempo de vindimar
Integrado na Região Demarcada dos Vinhos do Dão, o concelho de Sátão é caracterizado pelo verde dos pinhais e dos campos, em contraste com os vales graníticos e xistosos, percorridos por inúmeros cursos de água. As extensas vinhas, protagonistas nesta altura do ano, estão cultivadas numa paisagem planáltica que oferece uma considerável diversidade em termos de castas, mas também de vários frutos, vegetais e cogumelos, sobretudo o míscaro, que se reveste de grande importância na gastronomia da região.
Com uma área de 200 km2 que integra nove freguesias, Satão vive por esta altura do ano as suas tradicionais festas religiosas de verão e as vindimas, ponto alto que levam ao concelho muita gente de fora, muitas à procura de uma experiência na arte de vindimar. Os amantes de caminhadas dispõem de três trilhos “oficiais” para melhor conhecerem a região: o Percurso do Torges, o trilho Pontes e Poldras e o muito concorrido Percurso do Míscaro e do Vouga, que parte da Praia Fluvial do Trabulo. 
A cerca de meia hora de distância encontra-se a cidade de Viseu, que até final do mês de setembro acolhe a famosa Feira de São Mateus.


MONTE DA MOITA RAZA
A cinco quilómetros de Marvão e a outros tantos de Castelo de Vide, este é um monte com 25 hectares de olivais orgânicos, carvalhos e pastagens, por onde andam livremente as ovelhas, o cavalo e os burros. Autêntico paraíso para caminhantes, ciclistas de montanha, observadores de pássaros e exploradores, a propriedade conta com duas habitações: o Monte Moita Raza e o Montinho Cottage. A primeira casa tem três quartos duplos com respetivas casas de banho, cozinha totalmente equipada, sala para refeições e sala de estar com lareira. No exterior existe um pátio com barbecue e piscina de água salgada que é partilhada com a casa Montinho, que tem dois quartos com casa de banho, cozinha equipada e sala com lareira. Esta casa, cuja decoração combina conforto a um charmoso estilo rústico alentejano, tem também um pátio onde podem ser feitos churrascos. Da quinta avista-se a vila medieval fortificada de Marvão, e bicicletas de montanha são disponibilizadas aos hóspedes que queiram aventurar-se pelas estradas e pistas existentes. Os relaxantes passeios a pé no monte permitem a observação das mais de 70 espécies de aves que habitam ou passam no local.


QUINTA DAS LAVANDAS
Como facilmente se percebe pelo nome, a cor e o cheiro da lavanda predominam na paisagem, quando o arbusto está em flor. Mas mais que isso, ela é a grande protagonista da quinta onde estão plantados cerca de seis hectares com duas variedades, a Lavandula angustifolia e a Lavandim grosso bleu, com as quais se fazem óleos essenciais e produtos tradicionais resultantes dos derivados do pequeno arbusto, entre os quais sabonetes. Fazendo jus à cultura mediterrânica, na quinta são também produzidas peças de artesanato, incluindo as tradicionais rocas de alfazema e os sacos de cheiro, ou um leque variado de infusões e o tão apreciado mel de lavanda. No Jardim das Lavandas perca-se na contemplação de um espetáculo sem par, a maior coleção de lavandas do país. Aqui existem mais de 40 espécies das 100 existentes. A casa é um complemento de tanta beleza. Cada um dos sete quartos da quinta é único. Com nomes alusivos às plantas e árvores da quinta, contam com uma decoração original da autoria do arquiteto de interiores Abel Garrido, que trabalhou no sentido de proporcionar aos hóspedes tempos de relaxamento e tranquilidade. Uma piscina ajuda a refrescar nos dias mais quentes.

 
Dias de prazer entre Castelo de Vide e Marvão
No distrito de Portalegre, Castelo de Vide e Marvão representam um convite à descoberta de um Alentejo de grande beleza natural. 
O castelo rodeado pelo casario branco destaca-se na paisagem de Castelo de Vide e é, sem dúvida, a primeira surpresa para quem vem para estas paragens. Lá do alto, a paisagem alentejana adquire todo o seu esplendor com pequenas aldeias a pintalgar campos a perder de vista. O olhar alcança Marvão e um pouco mais além avistam-se terras espanholas. Na encosta Norte, entre o castelo e a Fonte da Vila, uma série de ruas estreitas delimitam o núcleo histórico da Judiaria, um dos exemplos mais importantes da presença dos judeus no nosso país, que remonta ao século XIII, tempo do rei D. Dinis.  Castelo de Vide é também conhecido pelas suas riquezas naturais, nomeadamente pelas termas cuja água tem propriedades terapêuticas. Pode encontrar várias fontes sendo a Fonte da Vila e a Fonte da Mealhada as mais conhecidas. 
Vila raiana do Alto Alentejo, Marvão tem o título de “Mui Nobre e Sempre Leal”, concedido pela Rainha D. Maria II. Situada no topo da Serra do Sapoio, a uma altitude de 860 metros, está integrada em pleno coração do Parque Natural da Serra de S. Mamede, apresentando um importante conjunto de habitats naturais, ainda sem qualquer intervenção humana. A diversidade geológica de granitos, calcários, quartzitos e xistos, aliada à altitude e à orientação dos relevos, favorece a existência de vários microclimas que propiciam a ocorrência de uma flora muito variada, destacando-se as comunidades do Carvalho negral e do Sobreiro. A fauna do concelho também apresenta alguns aspetos bastante interessantes, nomeadamente a presença de duas espécies de anfíbios, o Sapo parteiro e a Rã ibérica, ambos presentes nos cursos de água que descem do maciço montanhoso de Marvão, indo juntar-se às águas do Sever. Também nos pequenos ribeiros pode observar-se uma das espécies de répteis mais espectaculares da nossa fauna, o Lagarto de Água, espécie endémica da Península Ibérica. 
No que diz respeito aos mamíferos, o forte destaque vai para a presença da geneta, do javali e do texugo. Nos cursos de água mais abrigados, e com muita paciência e sorte, é possível o avistamento de lontras. Também neste concelho existem diversos percursos devidamente assinalados, para conhecer de perto todos os tesouros que a vila e seus arredores guardam.


MONTE DOS CORDEIROS
Mais do que uma estadia de luxo, o Monte dos Cordeiros possibilita um estilo de vida preservado para os que desejam experimentar a real cultura alentejana. Tendo como base uma casa de campo histórica, o projeto de revitalização preservou a traça original e os detalhes que fazem deste um local tão especial. A recuperação parcial da casa resultou na criação de três quartos e ainda na reconversão de uma antiga dependência agrícola, em três unidades, “casas T1”, alojando até um máximo de quatro pessoas cada. A herdade está integrada num conjunto com cerca de 675 hectares de culturas arvenses e montado de azinho, onde passa uma ponte medieval, linhas d’água, ribeiros e uma barragem. Excelente para os adeptos de caminhadas ou de passeios de bicicleta, que são disponibilizadas no local. Na  propriedade encontra ainda uma torre de birdwatching para que possa apreciar e esperar pacientemente pelas aves ali existentes. Para os adeptos da caça, a existe uma zona para a pática da mesma, com um pavilhão e dois campos de treino, onde poderão ser efetuadas largadas. O Monte dos Cordeiros dispõe ainda de piscina de 100m2 com balneário de apoio.


DORMIR

Taboadella – Casa Villae 1255
Morada: 
Quinta da Taboadella, Satão, Viseu
Tel.: 232 244 000
Preço: 
Desde 3000€/2 noites

Monte da Moita Raza
Morada: 
Vale de Rodam, bl3, cx7, Marvão
Tel.: 910 655 545
Preço: 
Desde 550€/7noites

Quinta das Lavandas
Morada: 
Quinta das Lavandas, Sítio de Vale Dornas, Castelo de Vide
Tel.: 917 264 655
Preço: 
Desde 103€/noite

Monte dos Cordeiros
Morada: 
Monte dos Cordeiros S/N, S. Romão, Ciladas
Tel.: 
964 024 394
Preço: 
Desde 160€/ (mínimo 2 noites)

COMER
Restaurante Clube Caçadores
Morada: 
Avenida do Aeródromo, Travessa Muna, Viseu
Tel.: 
232 450 401
Preço médio: 
20€

Restaurante Rio Sever
Morada: 
Estrada do Rio Sever, 4, Marvão
Tel.: 
245 993 192
Preço médio: 
20€

Don Pedro V Restaurante
Morada: 
Praça Dom Pedro V, Castelo de Vide
Tel.: 245 901 236Preço médio: 20€

Taverna Dos Conjurados
Morada: Largo 25 de Abril, 12, Vila Viçosa
Tel.: 
268 989 530
Preço médio: 
24€

Newsletter

A Hotéis de Campo publica semanalmente uma newsletter com todos os artigos relacionados com sugestões de viagens em Portugal.

Email Marketing by E-goi

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments